Itapejara D'Oeste - PR °min °max
25 de setembro de 2021

Notícias

PROJETO ARQUEOLÓGICO REALIZADO NA CGH DA ILHA EM ITAPEJARA D’ OESTE – PR.

Durante os meses de Agosto a Setembro de 2020, a equipe de arqueologia da empresa Artefatos Pesquisas Arqueológicas esteve no município de Itapejara D’Oeste, no Paraná realizando os estudos de Salvamento Arqueológico e Educação Patrimonial na CGH da Ilha. Estes estudos estão vinculados as licenças ambientais de viabilidade da construção da CGH da Ilha, a qual será instalada no rio Chopim.

Na CGH da Ilha foi identificado um sítio arqueológico que resultou em importantes informações sobre as populações pré-coloniais que ocuparam a região. Neste sítio foram recolhidos mais de 2mil peças, entre objetos feitos em cerâmica, rocha, fragmentos de carvão e sementes carbonizadas. Também foi possível realizar a datação do sítio, no laboratório Beta Analytic, localizado na Califórnia, EUA e chegar ao resultado de mais de 9 mil anos antes do presente.

Assim, as populações pré-coloniais já estavam na região de Itapejara D’Oeste a mais de 9 mil anos antes do presente. Os pesquisadores ao findar seus estudos de campo e as análises em laboratório supõem que no sítio da Ilha, possivelmente ocorreram, pelo menos duas ocupações humanas pré-coloniais distintas: a mais recente e encontrada nas camadas mais superficiais, apresentou fragmentos de cerâmica e materiais feitos em rocha. E a segunda camada, encontradas nas camadas mais profundas da escavação e de onde foi retirado a amostra para datação, apresentou, apenas material feito em rocha. Vários são os estudiosos que vem, ao longo dos anos, pesquisando as populações pré-coloniais na região sudoeste do Paraná. Para a região, a respeito das populações pré-ceramistas que apresentam ocupações com datações tão recuadas como a evidenciada no nível ocupacional mais antigo no sítio da Ilha pode-se realizar a associação com a tradição Umbu, que apresenta datações a partir de 9.000 A.P. no vale do baixo Iguaçu, no sudoeste Paranaense (PARELLADA, 2008).

Além das pesquisas de campo foi realizado no município de Itapejara D’Oeste e por conta dos estudos arqueológicos na CGH da Ilha, as atividades de educação patrimonial na unidade escolar Castelo Branco. Frente as recomendações de distanciamento social, frente a pandemia do COVID-19, as ações de educação patrimonial foram realizadas através de uma vídeo-aula, onde os pesquisadores, em campo, puderam mostrar aos alunos e professores o sítio arqueológico, os procedimentos de escavação, os materiais encontrados, e também realizar ampla explicação sobre temas voltados a arqueologia e patrimônio arqueológico.

Links da educação patrimonial para divulgação da pesquisa:

Fotos:

Skip to content